domingo, 25 de agosto de 2013

ENTENDENDO O DÍZIMO


Clique AQUI para baixar o e-book desta matéria(letra grande para melhor visualização em celular).
ou:
Clique AQUI para baixar o e-book desta matéria(para visualização em PC).


     Em primeiro lugar venho muito respeitosamente dizer ao amigo leitor que de forma alguma tivemos a intenção de criticar ou magoar ou constranger os cristãos dizimistas (afinal de contas cada um tem o direito de fazer o que bem entender com o seu suado e honesto dinheiro), mas viemos tão somente com a intenção de difundir a sã palavra de DEUS com relação ao “delicado” assunto do dízimo e denunciar os abusos cometidos por esses CÃES GULOSOS que praticam assédio espiritual e moral ao nosso já tão sofrido povo cristão brasileiro. 

***
 

 palavra dízimo no contesto religioso de nosso tempo significa décima parte ou dez por cento de toda a renda(em dinheiro) de uma pessoa que é membro de uma instituição denominacional religiosa.

   A ideia de que todo crente é obrigado a dizimar está largamente difundida principalmente nas religiões católica romana e nas inúmeras vertentes de religiões evangélicas de nossa atualidade.  


  Já bem cedo na vida espiritual, praticamente todo crente é ensinado que tem a obrigação de dizimar. Algumas pessoas seguidoras de religiões creem tão fortemente no ato de entregar o dízimo que seus membros regularmente recitam o Credo do Dizimista: ("O dízimo é do Senhor. Em a verdade, o aprendemos. Em a fé, o cremos. Em a alegria, o damos. O dízimo!"). E praticamente todos os pregadores estão ensinando que qualquer crente que não entrega o dízimo na igreja está roubando a Deus e está debaixo de maldição.

***
 

  Mas o que é verdade e o que é mentira sobre as doutrinas que tem sido tão amplamente divulgadas sobre o dízimo? 

   É por isso que a partir de agora convidamos você para juntos examinarmos o que a Bíblia realmente ensina sobre o assunto do dízimo, sendo que o nosso propósito é o de revelar qual é a VERDADEIRA importância que o dízimo tem para os que creem no Senhor Jesus Cristo, e vivem de acordo com a Nova Aliança. Faremos isto examinando o que a Bíblia tem a dizer sobre esse assunto. 

***

   Durante anos, o sistema religioso tem se esforçado para introduzir na mente das pessoas doutrinas falsas ao redor do assunto do dízimo, numa clara tentativa de objetivar cada vez mais o aumento da arrecadação de dinheiro para os cofres das instituições religiosas. 
   Antes de adentrarmos no assunto falaremos do cenário religioso hoje em nosso país com relação ao destino do dinheiro recebido dos dízimos pelos líderes religiosos nos templos.

   Nos dias atuais os telejornais têm mostrado com certa frequência os escândalos envolvendo os nomes de vários líderes religiosos em nosso país, e o que eles estão fazendo com o dinheiro arrecadado através dos dízimos e das ofertas recebidos dos seus fiéis seguidores.
   Vítimas de quem deveria protegê-los e sob a desconfiança e os ataques da opinião pública, os fiéis membros de várias denominações religiosas tem enfrentado um de seus piores momentos ao se depararem com o atual cenário de escândalos envolvendo seus líderes com o desvio de dinheiro dos dízimos.

   As denúncias divulgadas pela imprensa caíram como uma bomba sobre as cabeças dos fiéis e da população em geral. Segundo investigações policiais, milhões de reais sumiram dos cofres eclesiásticos e foram parar nas contas bancárias pessoais de pastores.

   O Ministério Público abriu ação criminal contra vários desses líderes, sob a alegação de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Os acusados há muito tempo estavam usando o dinheiro dos dízimos e das ofertas dos fiéis para a aquisição de empresas registradas em seus nomes, e outros bens como emissoras de TV, casas, terrenos e aviões, todos adquiridos de forma ilegal.

   Além das acusações de lavagem de dinheiro, há também as de esquemas de empresas fantasmas, onde o dinheiro dos fiéis são enviados para paraísos fiscais, isto é, países onde não são exigidas as documentações que comprovam a origem do dinheiro, e os mesmos retornavam para o nosso país sob a forma de empréstimos.

   Descobriu-se também o superfaturamento de contratos de programas pagos por denominações religiosas para serem exibidos em redes de televisão.

Veja o depoimento de Caroline Celico, esposa do jogador Kaká, ela chegou a questionar a validade do dízimo ao afirmar que fazia uma leitura errada da Bíblia.
   Caroline e Kaká se desligaram da Igreja de 2010. Ela disse em entrevista à coluna de Mônica Bergamo da Folha, que não pretende seguir mais nenhuma religião. "Por enquanto não sinto falta dos rituais”, afirmou Caroline.
    Ela também escreveu no Twitter: “como é bom não pertencer a nenhuma denominação”, dando a entender que o casal estava descontente com o líder, fundador da denominação a que eles pertenciam, por causa da má administração e das denúncias de desvio dos dízimos. 

Naquela época Kaká era usado como garoto-propaganda daquela igreja, e era o maior dizimista da denominação. Só em 2009 ele entregou algo em torno de R$ 2,4 milhões aos cofres daquela denominação. 

   Na entrevista, Caroline revelou que não concorda mais com a teologia da prosperidade pregada por várias denominações evangélicas, e que tinha  acreditado em coisas que não estavam na Bíblia.

  Disse também que nas músicas do seu novo CD procura passar a mensagem de que Deus não age “aumentando uma conta de banco ou abrindo uma porta de emprego”. Acrescentou que, para ela, “Deus não é isso”. 
   Assim como Caroline e Kaká, muitas almas têm sido libertadas das mentiras ensinadas nos púlpitos dos templos religiosos feito de tijolos. (Atos 17 – 24: O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;)


  Estas foram apenas algumas das muitas histórias reais mostradas nos jornais de nosso país envolvendo a desonestidade de lideres religiosos no que diz respeito a questão do dízimo.
 
    Mas nós não viemos aqui para divulgar ou debater sobre os abusos cometidos por líderes religiosos inescrupulosos, pois a própria mídia secular já se encarregou disso. 

   O objetivo principal do nosso trabalho é mostrar quais são as falsas doutrinas ensinadas por esses falsos profetas da modernidade, e como é possível conseguir entender o verdadeiro significado do dízimo para os cristãos, porque o conhecimento da palavra de DEUS é a riqueza mais valiosa que existe, e é isso que DEUS nos tem revelado para que possamos repartir com todos os filhos sinceros do DEUS ALTÍSSIMO.

***

  Para começarmos a entender a questão do dízimo, primeiro precisamos(necessariamente) entender alguns preceitos como:

01- Em todo o contexto bíblico existem apenas três povos distintos aos olhos de DEUS que são: o povo HEBREU, o povo CRISTÃO e os povos PAGÃOS(ou gentios). Se você não souber a diferença entre eles, então ficará com problemas na interpretação de vários textos da Bíblia. 

Veja o que cada um é:
-povo HEBREU:  é povo escolhido por DEUS aqui nesse mundo, esse povo passou a existir a partir da descendência de “Abraão”, que por sua vez descende de “Heber”, que descende de “Sem”(que era filho de “Noé”). A esse povo(e somente a esse povo) foi dado por DEUS toda a Lei de Moisés(que também é chamada de “Torá” ou “Pentateuco” que são os cinco primeiros livros da Bíblia que foram escritos por “Moisés”).

-povos PAGÃOS(ou gentios): com exceção do povo “HEBREU” e do povo CRISTÃO, são todos os outros povos do planeta.

-povo CRISTÃO: o povo cristão constitui-se de indivíduos tanto do povo “HEBREU” como dos povos “PAGÃOS” que abandonaram suas antigas práticas e crenças e se converteram ao evangelho de CRISTO JESUS e passaram a viver de acordo com a Nova Aliança.

02- A Lei de Moisés pertence a Antiga Aliança(Velho Testamento) e foi dada por DEUS SOMENTE para o POVO HEBREU.

03- O Dízimo NÃO consta como ordenança para os CRISTÃOS que vivem conforme a Nova Aliança dada por JESUS CRISTO. O Dízimo é uma das 613 ordenanças que estão na Lei de Moisés que foi dada por DEUS SOMENTE AO POVO HEBREU. É muito importante saber que de acordo com a Palavra de DEUS se você escolher viver de acordo com a Lei de Moisés, você estará OBRIGADO a praticar não somente o dízimo mas também todas as 613 ordenanças que constam nesta Lei e que se você tropeçar em qualquer um dos preceitos dessa Lei, será culpado de transgredir TODA a Lei, como está descrito em Tiago 2:10 - "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos”. 
  Imagine só você ter que circuncidar seu filho ou ter que apedrejar até a morte as pessoas que cometeram adultério...

04- a prática do dízimo nunca foi um ato de adoração a DEUS, mas sim uma obrigação ordenada por DEUS SOMENTE para o povo hebreu, o ÚNICO ato descrito na Bíblia como sendo de fato uma atitude de adoração a DEUS é dobrar os joelhos e se encurvar com o rosto ao chão repetidas vezes, como podemos compreender por exemplo nestas passagens descritas em:

“E todos os filhos de Israel vendo descer o fogo, e a glória do Senhor sobre a casa, encurvaram-se com o rosto em terra sobre o pavimento, e adoraram e louvaram ao Senhor, dizendo: Porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre. 2 Crônicas 7:3” 

“E Moisés apressou-se, e inclinou a cabeça à terra, adorou, Êxodo 34:8” 

“E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Mateus 4:9” 

“E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou. Atos 10:25” 

“E os quatro animais diziam: Amém. E os vinte e quatro anciãos prostraram-se, e adoraram ao que vive para todo o sempre. Apocalipse 5:14” 

  Portanto como pudemos ver nos versículos acima, a prática de dizimar NÃO é e NUNCA foi um ato de adoração a DEUS.

05- NÃO EXISTE mandamento ou ensinamento na Bíblia para os cristãos dizimarem(pode procurar mas não vai encontrar).

06- SOMENTE O POVO JUDEU tinha a ordem de DEUS para praticarem o dízimo.

07- Na Nova Aliança proporcionada por JESUS CRISTO NÃO existem promessas de bênçãos materiais(feitas por DEUS ou por JESUS CRISTO ou pelos apóstolos) para os cristãos(pode procurar mas não vai encontrar), essas promessas de bênçãos materiais existiam SOMENTE no Velho Testamento e eram direcionadas SOMENTE aos povo hebreu.

***

As principais FALSAS doutrinas utilizadas para induzir os fiéis a entregar os dízimos são: 


1- Você é obrigado a entregar o seu dízimo;

2- Se você não entregar o seu dízimo será chamado de ladrão, rebelde e fraco na fé;

3- Deus deixará de enviar as bênçãos de prosperidade, já que você está roubando ao SENHOR, pois o dízimo pertence a Ele e, portanto, você está cometendo um pecado gravíssimo, tornando-se dessa forma, impossibilitado de ser atendido em suas orações;

4- Se você não entregar o dízimo, entrará um demónio devorador na sua vida para devorar os seus bens materiais, e a única maneira de repreender esse demónio é entregando os dízimos;

5- Quem assim age, deve reparar o seu erro, entregando o dízimo na igreja;


   Para que estas falsas doutrinas sobre o dízimo tenham status de verdade, vários versículos da Bíblia são citados de maneira distorcida, isolada ou fora do contesto.

   É exatamente isto que acontece com o famoso texto de Malaquias 3:8-10: 
“Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, por que me roubais, vós a nação toda. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança”.  

   Talvez este seja o texto mais incompreendido da Bíblia, quase que universalmente aceito como prova bíblica da obrigatoriedade do dízimo, justamente por causa dos muitos erros de interpretação. Porém, ao contrário do que muitos podem imaginar, não é difícil entender de maneira correta o texto citado.

   O livro de Malaquias é bem pequeno (com apenas quatro capítulos) e bem fácil de se ler e compreender, basta lê-lo todo do início ao fim para perceber que o profeta Malaquias inspirado por DEUS, está se dirigindo ESPECIFICAMENTE aos sacerdotes (líderes da religião judaica), e não aos fiéis seguidores da religião judaica ou aos cristãos, mesmo porque os cristãos nem existiam nessa época.

   MAS PARA ENTENDER PERFEITAMENTE O DÍZIMO TORNA-SE NECESSÁRIO ENTENDER:

1°- que há distinção entre JUDEU e CRISTÃO, judeu é uma coisa e cristão é outra. No contexto bíblico os preceitos da religião judaica pertencem ao velho testamento e os preceitos cristãos ao novo testamento. Judaísmo é da velha aliança e o cristianismo da nova aliança, o judaísmo é regido pela Lei de Moisés e o cristianismo pela Grassa mediante o sacrifício de CRISTO na cruz.
   O texto de Malaquias 3:8-10 NÃO foi originalmente dirigido aos cristãos mas sim aos sacerdotes que eram os líderes dentro da religião judaica, eles é que estavam roubando os dízimos e não os fiéis. 

- Nesse texto DEUS NÃO está de MANEIRA NENHUMA se dirigindo aos cristãos. Dizer que o cristão é obrigado a entregar o dízimo é o mesmo, por exemplo, que dizer que os cristãos são obrigados a sacrificar(matar) seus primogênitos seguindo o exemplo de Abraão em Gênesis 22:2 - Então disse Deus: "Tome seu filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e vá para a região de Moriá. Sacrifique-o ali como holocausto num dos montes que lhe indicarei".
  Ou dizer que temos que matar os que cometem adultério (“Levítico 20:10 - Se um homem cometer adultério com a mulher de outro homem, com a mulher do seu próximo, tanto o adúltero quanto a adúltera terão que ser executados.”).

   Torna-se portanto necessário entender que há mandamentos na bíblia que são para os judeus daquela época e que são seguidos até hoje pelos judeus ortodoxos dos nossos dias que ainda vivem de acordo com a Lei de Moisés e não creem que JESUS é o messias, e que há mandamentos que são específicos para os cristãos. Não podemos jamais interpretar toda a Bíblia de Genesis a Apocalipse exatamente ao pé da letra.

   2°- Conhecer a história da tribo de Levi, pois a razão da existência do dízimo está DIRETAMENTE atrelada a mesma e que o termo “levita” no contexto bíblico, refere-se tão somente aos indivíduos pertencentes à tribo de Levi, e não se aplica para pessoas que se auto denominam como levitas apenas pelo fato de pertencerem a um grupo de louvor de alguma instituição religiosa qualquer.

Examinaremos agora as passagens bíblicas mais significantes que descrevem o dízimo e a história da tribo de Levi no Velho Testamento:

  A Tribo de Levi é uma das Tribos de Israel, constituída pelos descendentes de Levi, filho de Jacó e de Léia. Esta tribo assume grande importância na história de Israel desde o princípio de sua história.

   Moisés e seu irmão Arão pertenciam a esta tribo ou seja, eram bisnetos de Levi, sendo que eles guiaram todo o povo de Israel durante sua saída do Egito onde viviam em regime de escravidão, rumo à Canaã, a terra prometida. Durante esse período Moisés se tornou líder espiritual e legislador de toda a nação israelita, tendo recebido de Deus as tábuas com os Dez Mandamentos, e também as instruções acerca das leis e das normas de conduta que norteariam a nação israelita pelos séculos seguintes. Êxodo - 4:14 “Então se acendeu a ira do SENHOR contra Moisés, e disse: Não é Arão, o levita, teu irmão? Eu sei que ele falará muito bem; e eis que ele também sai ao teu encontro; e, vendo-te, se alegrará em seu coração.”

   Naquela época Moisés, por inspiração divina, nomeou seu irmão Arão como sumo-sacerdote, e designou seus descendentes, e apenas seus descendentes, como os únicos que teriam a permissão de entrar no tabernáculo, de entrar na presença da Arca da Aliança e de realizar os sacrifícios. Farás também chegar a Arão e a seus filhos à porta da tenda da congregação; e os lavarás com água.
Êxodo 40:12-15 “E vestirás a Arão as vestes santas, e o ungirás, e o santificarás, para que me administre o sacerdócio. Também farás chegar a seus filhos, e lhes vestirás as túnicas, E os ungirás como ungiste a seu pai, para que me administrem o sacerdócio, e a sua unção lhes será por sacerdócio perpétuo nas suas gerações.”


   Suas funções sacerdotais eram intransferíveis, e segundo consta, outros que tentaram exercer as funções dos levitas foram punidos por Deus. Veja o que o profeta Samuel, inspirado por DEUS, disse a Saul, rei de Israel, depois que ele exerceu função sacerdotal sem possuir os atributos necessários(que estão descritos em “Êxodo 40:12-15”): “Então disse Samuel a Saul: Procedeste nesciamente, e não guardaste o mandamento que o Senhor teu Deus te ordenou; porque agora o Senhor teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre;Porém agora não subsistirá o teu reino; já tem buscado o Senhor para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o Senhor, que seja capitão sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o Senhor te ordenou. 1 Samuel 13:13,14”

   Mas talvez você pode estar se perguntando que sacrifícios são esses... Portanto você deve procurar entender que:
   Naquela época Deus ordenou que deveriam ser feitos sacrifícios de animais para que o povo israelita pudesse alcançar o perdão pelos seus pecados, não há perdão dos pecados sem que haja em troca o sangue de um inocente, no caso o de um animal.
As principais funções ordenadas por DEUS aos levitas eram:
   1- Servir no santuário (Nm 3.6 - Faze chegar a tribo de Levi, e põe-nos diante de Arão, o sacerdote, para que o sirvam);


   2- Ajudar nos sacrifícios (Jr 33.17,18 - Pois assim diz o Senhor: Nunca faltará a Davi varão que se assente sobre o trono da casa de Israel;

 nem aos sacerdotes levíticos faltará varão diante de mim para oferecer holocaustos, e queimar ofertas de cereais e oferecer sacrifícios continuamente);
   3- Transportar a arca da aliança (DEUTERONÔMIO 10:8 - Por esse tempo o Senhor separou a tribo de Levi, para levar a arca do pacto do Senhor, para estar diante do Senhor, servindo-o, e para abençoar em seu nome até o dia de hoje);

   4- A responsabilidade do ensino da lei (DEUTERONÔMIO 31: 9 - Moisés escreveu esta lei, e a entregou aos sacerdotes, filhos de Levi, que levavam a arca do pacto do Senhor, e a todos os anciãos de Israel).

Os levitas formavam uma tribo separada, sem território, sem herança terrena, ou seja, depois de vagar pelo deserto durante anos, o povo judeu foi guiado por DEUS até a região de Canaã onde tomaram posse daquelas terras.

   Nesse tempo DEUS ordenou que os indivíduos pertencentes à tribo de Levi não iriam herdar terras em Canaã, porque eles seriam dedicados somente aos serviços pertinentes ao templo da religião judaica, e assim, estariam proibidos de exercer qualquer outra atividade como, por exemplo, agricultura, criação de animais, comércio, etc. Como está descrito em DEUTERONÔMIO 10.9 – (Pelo que Levi não tem parte nem herança com seus irmãos; o Senhor é a sua herança, como o Senhor teu Deus lhe disse).
É EXATAMENTE AQUI QUE PODEMOS COMEÇAR A ENTENDER A ESTREITA LIGAÇÃO QUE EXISTE ENTRE A INSTITUIÇÃO DO DÍZIMO E A HISTÓRIA DA TRIBO DE LEVI!
NÚMEROS 18:21 – (Eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo serviço que prestam, o serviço da tenda da revelação.)
JOSUÉ 13:14 – (Tão-somente à tribo de Levi não deu herança; as ofertas queimadas ao Senhor, Deus de Israel, são a sua herança, como lhe tinha dito.)

   Como pudemos ver até aqui, Deus deu por herança aos levitas os dízimos de Israel, em vez da terra. Os levitas também davam os dízimos dos seus dízimos aos sacerdotes.
Levítico 27:30-33: "Também todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do SENHOR; santas são ao SENHOR. 31 Porém, se alguém das suas dízimas resgatar alguma coisa, acrescentará a sua quinta parte sobre ela. 32 No tocante a todas as dízimas do gado e do rebanho, tudo o que passar debaixo da vara, o dízimo será santo ao SENHOR. 33 Não se investigará entre o bom e o mau, nem o trocará; mas, se de alguma maneira o trocar, tanto um como o outro será santo; não serão resgatados."

   Nesta passagem, o dízimo é descrito como sendo parte do produto da terra, da semente do campo, do fruto das árvores, do gado, e do rebanho. O dízimo quando foi instituído, originalmente não era dado em dinheiro. Em lugar algum no Velho Testamento você encontrará que o ato de dizimar era feito em dinheiro. A cada ano, depois que a terra tinha sido colhida, as pessoas traziam para os sacerdotes as décimas partes de suas colheitas e do aumento na manada e no rebanho.

   Aliás, diga-se de passagem que DEUS não precisa de dinheiro para tocar sua obra ou para fazer cumprir sua vontade nesse mundo. Veja, por exemplo, que DEUS não precisou de dinheiro para salvar o Egito da grande escassez de alimentos quando José se tornou governador daquela nação, nem para libertar o povo judeu da escravidão no Egito, e que JESUS era pobre nesse mundo e também não precisou de dinheiro para consumar a redenção de toda humanidade. Entenda que DEUS não precisa de dinheiro para absolutamente nada. Números 18:21-24: E eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo ministério que executam, o ministério da tenda da congregação.22 E nunca mais os filhos de Israel se chegarão à tenda da congregação, para que não levem sobre si o pecado e morram. 23 Mas os levitas executarão o ministério da tenda da congregação, e eles levarão sobre si a sua iniquidade; pelas vossas gerações estatuto perpétuo será; e no meio dos filhos de Israel nenhuma herança terão, 24 Porque os dízimos dos filhos de Israel, que oferecerem ao SENHOR em oferta alçada, tenho dado por herança aos levitas; porquanto eu lhes disse: No meio dos filhos de Israel nenhuma herança terão.

   NA LEI DE MOISÉS, HOUVE SOMENTE UMA EXCEÇÃO PARA SE CONVERTER O DÍZIMO EM DINHEIRO. Deuteronômio 14:24-27   mostra essa antiga exceção, provando que sistemas financeiros estavam em vigor, sem que o dizimo fosse baseado em dinheiro: – (Mas se o caminho te for tão comprido que não possas levar os dízimos, por estar longe de ti o lugar que Senhor teu Deus escolher para ali pôr o seu nome, quando o Senhor teu Deus te tiver abençoado; então vende-os, ata o dinheiro na tua mão e vai ao lugar que o Senhor teu Deus escolher. E aquele dinheiro darás por tudo o que desejares, por bois, por ovelhas, por vinho, por bebida forte, e por tudo o que te pedir a tua alma; comerás ali perante o Senhor teu Deus, e te regozijarás, tu e a tua casa. Mas não desampararás o levita que está dentro das tuas portas, pois não tem parte nem herança contigo.)

 Nessa antiga exceção, era permitido vender o dízimo da produção da terra em circunstâncias específicas, para se gastar o dinheiro no que se desejasse, contanto que isso fosse compartilhado com o levita local, provando que o que o sistema monetário já existia naquela época, e que o dízimo não era baseado em dinheiro.
Entenda aqui que o dízimo foi planejado por DEUS para ser o sustento dos levitas. Porque eles não tinham nenhuma herança na Terra Prometida, tal como tinham as outras tribos, Deus fez provisão para o sustento deles através da instituição do dízimo das outras tribos da nação de Israel. Em Números 18:31 está escrito: "E o comereis em todo o lugar, vós e as vossas famílias, porque vosso galardão é pelo vosso ministério na tenda da congregação."
   Percebe-se claramente aqui que o dízimo foi instituído por Deus para suprir o sustento dos levitas, pelos seus serviços sacerdotais.
Neemias 10:38 - (E o sacerdote, filho de Arão, deve estar com os levitas quando estes receberem os dízimos; e os levitas devem trazer o dízimo dos dízimos à casa do nosso Deus, para as câmaras, dentro da tesouraria.).

   Os levitas e sacerdotes dependiam dos dízimos para sobreviver. A casa de Deus era um armazém e ponto de distribuição para os levitas, os sacerdotes e os necessitados, como está escrito em 2 Crônicas 31:11 e 12 – (Então ordenou Ezequias que se preparassem câmaras na casa do Senhor; e as prepararam. Ali recolheram fielmente as ofertas, os dízimos e as coisas dedicadas; e tinha o cargo disto o levita Conanias, e depois dele Simei, seu irmão.).

   
   

Pelo que vimos até aqui, o dízimo era uma obrigação somente para os judeus e não para os cristãos que vivem pela fé na NOVA ALIANÇA.
  No Novo Testamento não há citações ou trechos que façam menção ao dízimo como sendo obrigação para os cristãos.

   O dízimo era entregue pelos judeus na casa de Deus na forma de mantimentos e NÃO na forma de dinheiro, e foi instituído por Deus somente e exclusivamente para o sustento dos indivíduos pertencentes à tribo de Levi e para ser distribuído para as pessoas pobres e necessitadas.


  Pela lei de Moisés os judeus recebiam o perdão pelos seus pecados através do sacrifício de animais que eram efetuados pelos sacerdotes levitas.  

  Porém, depois que JESUS cumpriu na cruz toda a Lei de Moisés (Mateus 5:17-18) se oferecendo como último e suficiente sacrifício para o perdão dos pecados para todas pessoas do mundo, passamos então a entender que “o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo e que ninguém mais precisa recorrer aos sacerdotes da tribo de Levi para oferecer animais para serem sacrificados para obterem da parte de DEUS o perdão pelos seus pecados. 

  Dessa maneira nós que vivemos pela fé na nova aliança através do sacrifício de JESUS cremos e entendemos que o sacerdócio Levítico perdeu sua razão de existir pois não precisamos mais de sacerdotes levitas para sacrificar animais pelo perdão de nossos pecados, e que assim sendo, a obrigação de entregar o dízimo (que era somente para os judeus) também perdeu sua razão de existir.

   Existem mandamentos na Palavra de Deus que NÃO são para os cristãos.


  Dizer que os cristãos tem obrigação de entregar dez por cento de sua renda mensal para líderes de instituições religiosas é tão absurdo, como por exemplo, dizer que temos que matar os que cometem adultério (Levítico 20:10) ou que temos que sacrificar nossos filhos em holocausto para provarmos nossa fé em Deus (Gênesis 22:2) ou que seremos abençoados porque entregamos o dízimo de nossa renda na mão de líderes religiosos (Malaquias 3:10).

   Doutrinas que dizem que os cristãos tem obrigação de entregar dez por cento de sua renda mensal para líderes de instituições religiosas são doutrinas contrárias aos ensinamentos bíblicos. 

Homens religiosos equivocados, ou falsos profetas, ou falsos mestres estão torcendo a palavra DEUS para conseguir tirar dinheiro de pessoas inocentes e obter o próprio enriquecimento.

2 Pedro 2:1-4 “No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade. Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram. Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda. Pois Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os lançou no inferno, prendendo-os em abismos tenebrosos a fim de serem reservados para o juízo.”




Não se deixe enganar... Fique forte na rocha, JESUS CRISTO é a rocha verdadeira!

"Desmascarando a Biblia"- Fatos cintíficos e arqueológicos que comporovam a veracidade da Bíblia.

Clique Aqui para Baixar Coletânea de Livros Apócrifos:

Clique Aqui para Baixar Coletânea de Livros Apócrifos:
Existe muita informação, muito que aprender nos livros rotulados de "Apócrifos" pela religião católica romana que foi estabelecida pelo imperador romanano PAGÃO Constantino. Quem tem o Espírito saberá discernir e reter o que é bom. Boa leitura!

Clique Aqui para Ler Entendendo o Dízimo:

Clique Aqui para Ler Entendendo o Dízimo:
Clique Aqui para Ler Entendendo o Dízimo:

FORBES LISTA OS PASTORES MAIS RICOS DO BRASIL

KKKKKK...

Desafio bíblico para os defensores da teologia da prosperidade

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *